terça-feira, 9 de outubro de 2007

AUTOPSICOGRAFIA
Fernando Pessoa

O poeta é um fingidor,
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.

E assim nas calhas de roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama o coração.


Que tal entrar nesse jogo de fingir que verdade é o poema que se lê?!!
Qual é teu poema favorito?
Que poema tu sabes de cor?
Será um Corvo maldito
Ou uma dor bem maior?
Deixa aí tua sugestão de poesia e compartilha conosco essa fantasia!!
Abraços
Sami

2 comentários:

Marli disse...

Das utopias


Se as coisas s�o inating�veis... ora!
n�o � motivo para n�o quer�-las...
Que tristes os caminhos, se n�o fora
a m�gica presen�a das estrelas!

Nine disse...

"Pedras no caminho? Gurado-as todas. Um dia vou construir um castelo..."
Fernando Pessoa